Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   pr.reginobarros@pazevida.org.br

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE pr.reinaldorosario@pazevida.org.br

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI pr.marciodasilva@pazevida.org.br

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO pr.dionatanfreitas@pazevida.org.br

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   pr.neilton@pazevida.org.br  

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA pr.leonardopinheiro@pazevida.org.br

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR pr.weslleysantos@pazevida.org.br

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE pr.gilvamgomes@pazevida.org.br

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM pr.luciano@pazevida.org.br

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG pr.joaquimneto@pazevida.org.br

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE pr.delson@pazevida.org.br

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal pr.fabiohenrique@pazevida.org.br

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – PA pr.williamalves@pazevida.org.br

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS pr.raphaelbatista@pazevida.org.br

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN pr.crescio@pazevida.org.br

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL pr.carlospinheiro@pazevida.org.br

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB pr.emerson@pazevida.org.br pr.emerson@pazevida.org.br

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ pr.danyelpagliarin@pazevida.org.br

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   pr.sandropinheiro@pazevida.org.br

O AMOR MAIOR

– Ninguém JO tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o Seu Senhor. Mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de Meu Pai vos dei a conhecer.

Notas do Autor: JO 15:13-15

NINGUÉM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE, DE DAR ALGUÉM A SUA VIDA PELOS SEUS AMIGOS. Em 1789, na fracassada tentativa da Independência do Brasil, onze revolucionários foram presos, entre eles, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Depois de três anos de prisão, Tiradentes, também traído por um amigo, foi o único condenado. Ao ser levado para ser pendurado no madeiro, Tiradentes, com cabelos e barba crescidos e trajando um vestido comprido, parecia um tipo de “cristo”. Até onze companheiros tinha. Antes de morrer enforcado, em 1792, disse: “Se dez vidas eu tivesse, dez vidas eu daria”. Morreu por amor à Pátria e no lugar dos seus amigos. Porém, as semelhanças entre o sacrifício de Tiradentes e o de Cristo param por aí. O amor de Tiradentes, ainda que extraordinário e heroico, foi seletivo e parcial: apenas pelo Brasil e pelos brasileiros, mas não pelos dominadores portugueses, por quem nutria um sentimento de aversão, chamado pelos historiadores de “lusofobismo”. O Amor de Jesus Cristo foi mundial, imparcial e incondicional: Ele morreu não apenas por amor aos apóstolos, a mim e a você; morreu também pelos judeus que O entregaram e pelos romanos que O crucificaram. Morreu por amor ao mundo todo (Jo 3:16). O apóstolo Paulo, que também confessou não merecer este Amor, “porque persegui a Igreja de Deus” (I Co 15:9b), escreveu: “Pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o Seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5:8).

MAS TENHO-VOS CHAMADO AMIGOS. Jesus chamou de amigos...

Seus ouvintes. “Digo-vos, amigos meus” (Lc 12:4). Estes amigos, logo mais, estarão clamando pela Sua crucificação.

Os publicanos e pecadores. Ao não recusar  tal  afirmação: “Veio o Filho do Homem, comendo e bebendo, e dizeis: Eis aí um comilão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores” (Lc 7:34).

Judas. Quando chegou com os guardas: “Amigo, a que vieste?” (Mt 26:50).

O trabalhador insatisfeito. “Amigo, não te faço injustiça” (Mt 20:13). Este, ambicioso, vai se unir aos demais para matar o “Herdeiro”.

Seus discípulos. Os quais daqui a algumas horas, fugirão: “Então todos os discípulos, deixando-O, fugiram” (Mt 26:56b).

Os piores inimigos. Demonstrou isso quando, em agonia na Cruz, orou: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23:34a).

Pr. Juanribe Pagliarin

bannerMemorial

AGUARDE NOVAS ATUALIZAÇÕES!